Ocorreu um erro neste dispositivo

terça-feira, 28 de abril de 2009

semi-frio de morango receita da Silvia(hello kity)



tirei esta receita da silvia,
do forum nos mulheres
,um forum onde a amizade impera assim como o respeito e a boa disposiçao....tambem ja o provei feito pela propria e e uma delicia....
a receita original e esta.........
6 ovos
peso dos ovos de açúcar
½ pesos dos ovos de farinha

1 pudim mandarim (ou boca doce de caramelo, ou baunilha)
½ litro de leite
3 colheres sopa de açúcar
1 lata de pêssego (também já fiz com morangos)
1 gelatina (tem de ser gelijá) de pêssego (ou morango)

Liga-se o forno a 180º
Unta-se uma tarteira (eu uso uma de vidro, que depois dá para levar à mesa), com manteiga e farinha.
Mistura-se as gemas com o açúcar, muito bem, depois batem-se as claras em castelo, bem firmes), e envolve-se ao preparado anterior, vai ao forno a cozer (cerca de ½ hora, porque é pão-de-ló, e para ficar fofinho não pode cozer muito).
Entretanto prepara-se o pudim, seguindo as instruções da embalagem.
Quando o pão-de-ló estiver cozido, retira-se do forno e mete-se por cima o pudim, com a ajuda de um garfo, pica-se o bolo, de forma a que o bolo absorva todo o pudim.
De seguida, corta-se a fruta às rodelinhas (para ficar com aquele efeito das tartes, como costumamos ver nas pastelarias) e colocam-se por cima do bolo.
Prepara-se a gelatina (seguindo as instruções da embalagem) e coloca-se por cima da fruta.
Vai ao frio e fica delicioso
E já agora, se conseguires resistir, então guarda uma fatia durante 2 ou 3 dias, é que passados esses dias ainda fica melhor, porque o bolo fica mais encharcado.

desculpa querida,mas fui preguiçosa e copiei a tua receita mesmo,mas como vez ja o fiz 2 vezes e mais farei decerto.....

mil beijos
bom apetite

sábado, 25 de abril de 2009

ABRIL III



tambem me apetece gritar NAO e acreditar que ha sempre alguem que resiste....

a voz inconfudivel de Adriano Correia de oliveira.....


trova do tempo que passa...




Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.
o vento nada me diz.

La-ra-lai-lai-lai-la, la-ra-lai-lai-lai-la, [Refrão]
La-ra-lai-lai-lai-la, la-ra-lai-lai-lai-la. [Bis]

Pergunto aos rios que levam
tanto sonho à flor das águas
e os rios não me sossegam
levam sonhos deixam mágoas.

Levam sonhos deixam mágoas
ai rios do meu país
minha pátria à flor das águas
para onde vais? Ninguém diz.

[Se o verde trevo desfolhas
pede notícias e diz
ao trevo de quatro folhas
que morro por meu país.

Pergunto à gente que passa
por que vai de olhos no chão.
Silêncio -- é tudo o que tem
quem vive na servidão.

Vi florir os verdes ramos
direitos e ao céu voltados.
E a quem gosta de ter amos
vi sempre os ombros curvados.

E o vento não me diz nada
ninguém diz nada de novo.
Vi minha pátria pregada
nos braços em cruz do povo.

Vi minha pátria na margem
dos rios que vão pró mar
como quem ama a viagem
mas tem sempre de ficar.

Vi navios a partir
(minha pátria à flor das águas)
vi minha pátria florir
(verdes folhas verdes mágoas).

Há quem te queira ignorada
e fale pátria em teu nome.
Eu vi-te crucificada
nos braços negros da fome.

E o vento não me diz nada
só o silêncio persiste.
Vi minha pátria parada
à beira de um rio triste.

Ninguém diz nada de novo
se notícias vou pedindo
nas mãos vazias do povo
vi minha pátria florindo.

E a noite cresce por dentro
dos homens do meu país.
Peço notícias ao vento
e o vento nada me diz.

Quatro folhas tem o trevo
liberdade quatro sílabas.
Não sabem ler é verdade
aqueles pra quem eu escrevo.

Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém que semeia
canções no vento que passa.

Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.


Manuel Alegre

ABRIL II


hoje apetecia-me de novo ouvir a voz de Paulo de Carvalho.....

Quis saber quem sou
O que faço aqui
Quem me abandonou
De quem me esqueci
Perguntei por mim
Quis saber de nós
Mas o mar
Não me traz
Tua voz.
Em silêncio, amor
Em tristeza e fim
Eu te sinto, em flor
Eu te sofro, em mim
Eu te lembro, assim
Partir é morrer
Como amar
É ganhar
E perder.
Tu viste em flor
Eu te desfolhei
Tu te deste em amor
Eu nada te dei
Em teu corpo, amor
Eu adormeci
Morri nele
E ao morrer
Renasci.
E depois do amor
E depois de nós
O dizer adeus
O ficarmos sós
Teu lugar a mais
Tua ausência em mim
Tua paz
Que perdi
Minha dor
Que aprendi.
De novo vieste em flor
Te desfolhei...
E depois do amor
E depois de nós
O adeus
O ficarmos sós.


Jose Niza

sexta-feira, 24 de abril de 2009

ABRIL....


a pergunta retorica"onde estavas no 25 de abril"eu respondo,estava em casa,tinha saido da escola era preciso começar a trabalhar,coisa que fiz dia a 7 dias,lembro-me que estava um dia de sol,que o radio nao deixou de tocar e que havia muita alegria no ar...


lembro-me de cada vez que o locutor na radio dizia Viva Portugal a minha mae dizer"este ainda vai preso"


recordo tambem uma explosao na fabrica de foguetes que ficava ali perto,em S,Marta de Corroios..


para onde foi a alegria,a esperança e o sonho?????


que seria eu sem o 25 de abril?


eu que sou contestaria por natureza,implusiva,independente e mulher??


que seriam as mulheres deste pais?


sentem-se capazes de viver amodarçadas??eu nao





abril para mim e a liberdade e a democracia,a igualdade,abril para mim e a voz do Zeca,e a contestaçao e o lutar pelos nossos direitos,sonhos e direitos que hoje sao atropelados,mas esta nas nossas mudar o pais e o mundo,temos todos de nos responsabilizar por isso e nao deixar tudo nas maos dos governantes....


quero pensar e acreditar que ainda a esperança,havera???


quero uma vida melhor para os meus filhos,quero que valha a pena estudar,trabalhar e ser honesto....


quero um planeta limpo e respiravel e isso somos nos que temos de fazer....


25 de abril sempre................


viva Portugal.................



eu (NAO) vou ser como a toupeira



Eu vou ser como a toupeira
Que esburaca
Penitência, diz a hidra
Quando à seca
Eu vou ser como a gibóia
Que atormenta
Nao há luz que nao se veja
Da charneca
E nao me digas agora
Estás à espera
Penitência diz a hidra
Quando à seca
E se te enfias na toca

És como ela
Quero-me à minha vontade
Nao na tua
O hidra, diz-me a verdade
Nua e crua
Mais vale dar numa sarjeta
Que na mao
De quem nos inveja a vida
E tira o pao


Zeca Afonso

segunda-feira, 20 de abril de 2009

nacos de porco com maça....................




parti uma pa de porco em nacos,temperei de sal e pimenta alho e colorau um pouco de vinho do porto..

num tabuleiro pus cebolas cortadas em neias luas,os nacos de carne e maças laminadas,juntei a marinada,refguei com azeite e como nao tinha vinho branco pus um pouco de vinho tinto,polvilhei com um pouco de alecrim e queijo ralado...levei ao forno mais ou menos 45m...

servido com espinafres salteados e batata frita...

bom apetite........................

sábado, 18 de abril de 2009

sem eira nem beira...........

e eu que pensava que naão havia mais cançoes de intervençao....

gandas xutos.................
object width="560" height="340">


sr.engeneiro vamos la mudar isto,consigo ou sem si..................mas de preferencia sem......



Anda tudo do avesso
Nesta rua que atravesso
Dão milhões a quem os tem
Aos outros um passou-bem

Não consigo perceber
Quem é que nos quer tramar
Enganar/Despedir
E ainda se ficam a rir
Eu quero acreditar
Que esta merda vai mudar
E espero vir a ter
Uma vida bem melhor

Mas se eu nada fizer
Isto nunca vai mudar
Conseguir/Encontrar
Mais força para lutar...

(Refrão)
Senhor engenheiro
Dê-me um pouco de atenção
Há dez anos que estou preso
Há trinta que sou ladrão
Não tenho eira nem beira
Mas ainda consigo ver
Quem anda na roubalheira
E quem me anda a comer

É difícil ser honesto
É difícil de engolir
Quem não tem nada vai preso
Quem tem muito fica a rir
Ainda espero ver alguém
Assumir que já andou
A roubar/A enganar
o povo que acreditou

Conseguir encontrar mais força para lutar
Mais força para lutar
Conseguir encontrar mais força para lutar
Mais força para lutar...

(Refrão)
Senhor engenheiro
Dê-me um pouco de atenção
Há dez anos que estou preso
Há trinta que sou ladrão
Não tenho eira nem beira
Mas ainda consigo ver
Quem anda na roubalheira
E quem me anda a foder

Há dez anos que estou preso
Há trinta que sou ladrão
Mas eu sou um homem honesto
Só errei na profissão


xutos e pontapes..........

pao de oregaos bacon e azeitonas.............


tinha um encontro com umas meninas e resolvi fazer este pao,ja tinha feito um parecido....


na maquina do pao pus por ordem...

2 dl de leite

2 colheres de azeite

sal, pimenta

400 g de farinha para pao normal da Nacional

100 de farinha de milho


programei a maquina para o programa de amassar


quando apitou juntei os oregãos,as azeitonasdescaroçadas e partidas e pedacinhos de bacon,e um pouco de alho em po,deixei acabar de amassar...


retirei da maquina e deitei num tabuleiro polvilhado de farinha e levei ao forno a cozer a180º



delicioso....


bom apetite

bolo de noz diferente...............







eu estava a ver tv,umas das raras vezes que consigo ;) e eis que num programa da sic mulher,"culinaria do dia a dia"estavam a fazer uma receita de bolo de noz,apanhei so por alto a receita mas agradou-me pela diferença,e uma receita americana(eles as vezes tambem tem coisas boas) e tentei faze-la e fiz assim....






ingredientes:(este ingreientes fui eu que ajustei pois nao apanhei as quantidades da receita original )






6 ovos



100g de margarina



2 chavenas de açucar



1,1/2 de farinha



uma colher de sopa de fermento



1 pacote de natas azedas(eu usei normal)



150 g de miolo de noz partido



canela qb






primeiro misturar numa tigela as nozes partidas com 2 colheres de açucar e a canela e reservar..






bater os ovos inteiros com o e a margarina ate ficar bem cremoso...






juntar as natas e continuar a bater,ir juntando a farinha e o fermento aos poucos.....






barrar a forma com farinha polvilhar de farinha e (ou forrar a da massa na forma,por cima dessa camada por uma parte da mistura das nozes com o açucar e a canela,mais massa ,mais mistura das nozes,a ultima camada deve ser a das nozes com o açucar e acanela...



levar ao forno cerce de 50 m ou ate o palito sair seco....






fica optimo e ja com cobertura e tudo.....






bom apetite....



quinta-feira, 2 de abril de 2009

mais um fim de tarde de domingo....































cais palificado da carrasqueira e campos de arroz..................





arroz doce...


o arroz doce da tia esta bue da bom..........

e preciso receita??nao,e igual a tantos outros........

beijos

pezinhos de porco de coentrada...........


chasmuscar e lavar muito bem pezinhos de porco.e po-los a cozer em agua temperada com :

cebola

alho

louro

pimenta

sal

um copo de vinho branco

deixar cozer ate estar macios,retirar da agua e deixar arrefecer,parti-los em pedaços e reservar...

coar a agua da cozedura e reservar....


num tacho fazer um refogado com azeite e alhos,um juntar um molho de coentros picadinhos,e adicionar a agua de cozer os pezinhos ,reticficar os temperos,deixar ferver um pouco,passar o caldo com a varinha magica,juntar os pezinhos partidos e deixar apurar um pouco....

juntar um pouco de vinagre...


servir quente para refeiçao com arroz branco,ou frio como entrada ou petisco...


bom apetite....

quarta-feira, 1 de abril de 2009

mentiras..........


hoje e dia das mentiras e eu gostava que fosse mentira mana,mentira tu teres ido embora ha 30 anos,quando penso que ja passaram 30 anos nem acredito como eu queria que fosse mentira e que ainda estivesses aqui mana,com o teu sorriso meigo o teu carinho de mana mais velha...


hoje talvez por fazer os tais 30 anos eu sinto uma tao grande saudade tua querida,queria abraçar-te ,queria que estivesses aqui....


contar-te as minhas alegrias e tristezas,queria dizer-te o quanto gostava de ti,queria-te aqui comigo,connosco,com os teus filhos e os teus netos....


Maria do Ceu,mana querida hoje choro por ti como ha 30 anos,tenho tantas saudades tuas.........
Ocorreu um erro neste dispositivo